MEIO AMBIENTE

Sustentabilidade ambiental

Desenvolvimento consciente com sustentabilidade sempre foi a meta de Rodrigo Agostinho. Seu trabalho sempre envolveu a defesa do meio ambiente e como gestor público não poderia ser diferente.

Uma grande preocupação na gestão foi a preservação ambiental. Como prefeito, Rodrigo elaborou e implementou o primeiro Plano Municipal de Cerrado e Mata Atlântica do país e ampliou a área conservada de Bauru em 580 mil metros quadrados. Ele também estabeleceu a lista oficial da fauna e da flora do município ameaçada de extinção. No município são 32 espécies de mamíferos, 48 aves, 05 répteis e 29 plantas ameaçados de extinção.

A questão ambiental foi tratada com a importância que ela merece. Rodrigo instituiu a Lei de Política Municipal de Mudanças e Bauru passou a ser uma das poucas cidades do mundo a ter uma política própria de enfrentamento das mudanças climáticas.

Na área de destinação de resíduos, uma necessidade nacional, a Prefeitura de Bauru implantou o Sistema de Controle de Transporte de Resíduos – CTR e o Plano Municipal de Resíduos Sólidos, além de sete ecopontos e o ecoverde, tirando toneladas de resíduos das ruas.

A coleta seletiva passou a ser uma realidade e foi ampliada para 85% das casas da cidade, ao mesmo tempo em que duas novas cooperativas de recicláveis foram criadas para dar a mais correta destinação ao lixo produzido.

O saneamento básico também foi prioridade na gestão Agostinho. Bauru chegou a quase 100% da cidade com rede coletora de esgoto. Foram construídas as estações de tratamento de esgoto de Tibiriçá e Candeia e iniciada a construção da ETE Bauru, investimento de mais de R$ 130 milhões.

Outros pontos que ganharam atenção foram o Diagnóstico da Arborização Urbana de Bauru, projetos de arborização urbana, reurbanização de áreas verdes, plantios, produção de mudas para plantios e distribuição à população. Ao todo houve uma produção anual de 30 mil mudas de arborização urbana para plantio e distribuição gratuita à população

Oito córregos e o Rio Bauru foram despoluídos. Foram implantados 67 km de interceptores de esgoto recuperando os córregos Água da Ressaca, Água da Forquilha, Água do Sobrado, Córrego da Grama, Córrego Água do Castelo, Córrego do Barreirinho, Córrego da Vargem Limpa, Córrego da Água Comprida e Ribeirão da Vargem Limpa.

O cuidado com o meio ambiente ficou ainda mais evidente com a implantação do Plano de Manejo das APAs da Água Parada e o início da contratação dos planos da APAs do Rio Batalha e da Vargem Limpa/Campo Novo. Também foi contratado o Plano de macrodrenagem para a Bacia do Pau d´alho.

Foram implantados 54,4 km de rede para manejo das águas e 15,2 km de rede para manejo de águas pluviais através de contrapartida de empreendimentos imobiliários.

Na luta por um transporte mais sustentável, foram implantadas ciclovias e ciclofaixas, em um total de 24.500m, sendo 10.900 m de ciclovias, 6.300 m de ciclofaixas de lazer e 7.300m de ciclofaixas de trabalho.

As áreas públicas ganharam espaço com 80 praças reformadas ou construídas, 45 academias ao ar livre e 59 playgrounds instalados. Três bosques foram reformados e se tornaram mais atrativos para o público: o Bosque da Comunidade, o Bosque do Geisel e o Bosque do Parque União.

Os cuidados com os animais foram observados com o início das campanhas de castração gratuita de animais em conjunto com o Conselho Municipal dos Direitos dos Animais.

meio-ambiente-2
meio-ambiente-5
meio-ambiente-6

Veja mais