BEM ESTAR SOCIAL

Referência nacional na assistência social

Com muito esforço e dedicação de toda a equipe os projetos foram tomando forma e os índices passaram a mostrar o sucesso do trabalho. Foi assim que Rodrigo chamou a atenção do Ministério do Desenvolvimento Social e Bauru passou a ser referência em nível nacional na área da assistência social. Muitas equipes de várias cidades passaram por Bauru para conhecer o trabalho de excelência desenvolvido junto à população, em especial a população em estado de vulnerabilidade. 

Foi consolidado o Sistema Único da Assistência Social (SUAS). Ampliou em 347% os valores do Fundo Municipal de Assistência Social, de R$ 10 milhões para mais de R$ 34 milhões. Só a parte do município saltou de R$ 7,9 milhões para R$ 28 milhões. Foi ampliada a rede com a implantação de vários novos serviços de atendimento à criança e ao adolescente, idosos, mulheres vítimas de violência, população de rua, com espaços específicos para cada tipo de serviço, além de cursos de geração de renda, qualificação profissional e tantos outros.

Novos CRAS (Centros de Referência da Assistência Social), Casa Abrigo para Mulheres Vítima de Violência, CREAS (Centro de Referência Especializado da Assistência Social), Centro de Referência para Mulheres, Residências Inclusivas, Restaurante Bom Prato (parceria Estado), Casa de Passagem para População de Rua, novos polos de atendimento, Telecentro em Tibiriçá, Cozinha Comunitária, foram alguns dos serviços e espaços implantados na rede.

E outros ficaram em andamento como o Centro de Convivência do Idoso, Centro POP para População de Rua, Centro Dia, Vila Dignidade, NAI – Núcleo de Atendimento Infantil, e Anexo de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher.

Muitas parcerias também foram feitas com instituições que se credenciaram para a ampliação dos serviços.

Habitação

Os investimentos na área de habitação em Bauru superaram R$ 1 bilhão de 2009 a 2016. Através do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), foram construídas 12 mil unidades habitacionais sendo 5.544 destinadas a famílias de baixa renda. A Prefeitura também criou um o Programa de Reassentamento de Famílias ocupantes de áreas de risco.

Conseguiu recursos junto ao Ministério das Cidades para planejamento e regularização fundiária de 1.744 famílias (Ferradura Mirim – 1.000 barracos; Jd Niceia – 240 barracos; Pq Jaraguá – 213 barracos; Jd Vitória – 50 barracos; V. Santa Terezinha – 45 barracos; Santa Filomena 39 barracos; Jd Marise – 35 barracos; Ilha de Capri – 30 barracos; Pousada da Esperança II – 26 barracos; Cutuba – 2 barracos; Jardim Andorfato 15 barracos; Vila Aimorés – 10 barracos; Vila Zillo – 10 barracos; Vila Santista – 10 barracos.

Foram entregues 38 unidades habitacionais na Vila São João Ipiranga (famílias do Jd. Vitória e Cutuba) e 32 no Parque Santa Cândida (com recursos do FNHIS -Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social) e 132 casas no Jardim Ivone. Outras 18 famílias foram removidas do bairro Ferradura Mirim.

Veja mais